Total Pageviews

Blog Archive

Procura neste Blog

ITO-NeTthings. Com tecnologia do Blogger.

Blogs de Portugal

NOVA SÉRIE DOCUMENTAL "I'LL BE GONE IN THE DARK" ESTREIA DIA 29 DE JUNHO NA HBO PORTUGAL

NOVA SÉRIE DOCUMENTAL "I'LL BE GONE IN THE DARK" ESTREIA DIA 29 DE JUNHO NA HBO PORTUGAL
Share it:
I’LL BE GONE IN THE DARK Estreia dia 29 de junho, em exclusivo, na HBO Portugal.

Da nomeada aos Óscares® e vencedora de um Emmy®, Liz Garbus, esta série documental de seis episódios, baseada no livro mais vendido de Michelle McNamara com o mesmo nome, explora a investigação da escritora pelo mundo sombrio de um predador violento.

NOVA SÉRIE DOCUMENTAL "I'LL BE GONE IN THE DARK" ESTREIA DIA 29 DE JUNHO NA HBO PORTUGAL

A série documental de seis episódios, I’LL BE GONE IN THE DARK, baseada no livro com o mesmo nome e que explora a investigação da escritora Michelle McNamara pelo mundo sombrio de um predador violento, que apelidou de “Golden State Killer”, estreia dia 29 de junho, em exclusivo, na HBO Portugal.

Aterrorizando a Califórnia nas décadas de 70 e 80, o “Golden State Killer” foi responsável por 50 violações em invasões a residências e 12 assassinatos. Esta série dá voz aos sobreviventes e às suas famílias, documentando uma época em que os crimes sexuais eram frequentemente ignorados ou escondidos pela vergonha. Esta série é uma investigação oportuna sobre a preocupação com o crime real e uma história cautelosa sobre a atração perigosa do vício, sendo uma fascinante reflexão sobre obsessão e perda, através da descrição do caminho implacável de um assassino misterioso e a determinação feroz de uma mulher para dar a conhecer o caso.

Michelle McNamara viveu uma vida tranquila enquanto escritora, mãe e esposa, tendo optado por viver à margem do universo de Hollywood do seu marido, o comediante Patton Oswalt. Mas, todas as noites, enquanto a família dormia, ela entregava-se à sua obsessão por casos não resolvidos. Ao mergulhar no mundo das salas de conversação online e dos blogs criminais, acabou por imergir nos detalhes gráficos do caso “Golden State Killer”, à medida que ia estabelecendo ligações com investigadores que partilhavam as suas ideias, factos, fotos e convicções.

O blogue de McNamara sobre crimes não resolvidos, "True Crime Diary", era um registo da sua obsessão, que a levou a um longo artigo sobre o caso no Los Angeles Magazine e que resultou no seu contrato com um grande livro. Comprometida em resolver o caso, a investigação consumiu-a, e ficou cada vez mais atormentada por pensamentos sombrios e um crescente sentimento de angústia. A obrigação de equilibrar o seu apego ao trabalho com a vida familiar levaram McNamara a tornar-se cada vez mais dependente de medicamentos prescritos para conseguir gerir as suas crescentes ansiedades. Após várias noites sem dormir e pesadelos angustiantes, McNamara morreu tragicamente de uma overdose acidental durante o sono com o manuscrito inacabado. Após a sua morte, Oswalt convocou os colegas detetives da esposa, Paul Haynes e Billy Jensen, para ajudarem a terminar e a publicar o seu livro, que recebeu ótimas críticas e se tornou um best-seller do New York Times em 2018.

I’LL BE GONE IN THE DARK é a história de uma detetive contada pelas próprias palavras de McNamara, através de gravações e excertos originais exclusivos do seu livro, lido pela atriz Amy Ryan. A série baseia-se em extensas imagens de arquivo e documentos policiais, bem como em novas entrevistas exclusivas com detetives, sobreviventes e familiares do assassino, para recriar a imagem de uma investigação complexa e falhada. É um documento assustador de uma época em que as vítimas tinham muitas vezes vergonha de se manifestar e o crime sexual era minimizado na imprensa e no tribunal. Ecoando a escrita de McNamara, a série dá voz às vítimas e as suas experiências falam sobre o custo humano neste caso de décadas.

A série é também uma viagem pela alma de McNamara, uma jornalista obstinada e detetive civil cujo compromisso incansável com a investigação de crimes lhe valeu o respeito de quem aplica a lei e cujos artigos e livros receberam elogios da crítica. A sua escrita evocativa reflete temas profundos de perda, ansiedade, atração pelo vício, o amor que nos une e os perigosos segredos do nosso dia-a-dia.

Os anos de determinação incansável de McNamara por justiça para as vítimas ajudaram a manter o caso vivo e aos olhos do público. Dez anos depois de ela ter começado a trabalhar no caso, e apenas dois meses depois do seu livro ter sido publicado postumamente em 2018, Oswalt e vários outros detetives de McNamara reuniram-se para uma leitura do livro na sua cidade natal, Chicago. Poucas horas depois, o xerife de Sacramento prendeu o ex-polícia de 72 anos, Joseph James DeAngelo, identificando-o, através de provas de ADN, como o “Golden State Killer”.

A determinação inabalável de McNamara, a coragem dos sobreviventes em contar as suas histórias e a dedicação de décadas de investigadores locais resultaram num retrato arrebatador de uma comunidade dominada pelo medo e o caminho final para a justiça. I’LL BE GONE IN THE DARK é uma reflexão ponderada e assustadora sobre a sobrevivência, as repercussões que os crimes violentos têm na sociedade e naqueles que tentam resolvê-los.

A série é realizada pela nomeada aos Óscares® e vencedora do Emmy®, Liz Garbus (“Who Killed Garrett Phillips,” e “Nothing Left Unsaid: Gloria Vanderbilt & Anderson Cooper” da HBO) e produzida pela Story Syndicate. A lista de realizadores assistentes da série inclui Elizabeth Wolff, Myles Kane e Josh Koury. I’LL BE GONE IN THE DARK conta com produção de Elizabeth Wolff e Kate Barry, co-produção de Myles Kane e Josh Koury, produção executiva de Liz Garbus, Dan Cogan, Michelle McNamara, Patton Oswalt e Dave Rath e co-produção executiva de Paul Haynes e Billy Jensen. As palavras de Michelle McNamara são lidas por Amy Ryan. Da HBO, os produtores executivos são Nancy Abraham e Lisa Heller.
Share it:

info

Post A Comment:

0 comments: