Total Pageviews

Blog Archive

Procura neste Blog

ITO-NeTthings. Com tecnologia do Blogger.

Blogs de Portugal

Bosch avança com operacionalização da primeira rede de campus 5G

Bosch avança com operacionalização da primeira rede de campus 5G
Share it:
5G será implementado nas fábricas da Bosch em todo o mundo
Bosch avança com operacionalização da primeira rede de campus 5G
  • Bosch vai equipar com tecnologia 5G a sua fábrica líder em Indústria 4.0, localizada na cidade de Feuerbach, em Estugarda.
  • Rede criada em conjunto pela Bosch e pela Nokia.
  • Bosch vai lançar os seus primeiros produtos com capacidade 5G para aplicações industriais.
  • Michael Bolle: “O 5G fortalece a nossa competitividade e permite-nos aproveitar ainda mais o potencial da Indústria 4.0.”
  • Em Portugal, a Bosch trabalha em parceria com a Altice Portugal, a Huawei e Universidade de Aveiro para aplicação do 5G na indústria portuguesa

A Bosch está a colocar em operação a sua primeira rede de campus 5G. Na sua fábrica líder em Indústria 4.0 que está localizada em Feuerbach-Estugarda, a empresa pretende realizar a sua atividade de produção sob condições nunca antes vistas, com dados a serem transferidos de forma extremamente confiável e ultrarrápida e com as máquinas a reagir quase instantaneamente. Pela primeira vez, a implementação sem fios será possível para aplicações críticas que requerem precisão e segurança absolutas. Sem exceção, pessoas e máquinas poderão cooperar em segurança e sem barreiras. “O 5G fortalece a nossa competitividade e permite-nos aproveitar ainda mais o potencial da Indústria 4.0”, afirma Michael Bolle, membro do conselho administrativo e CDO/CTO da Bosch. “Iremos implementar de forma gradual o 5G nas nossas 250 fábricas por todo o mundo.” Os locais onde a Bosch irá configurar redes 5G nos próximos meses incluem o seu campus de pesquisa em Renningen, Alemanha. A empresa está também a desenvolver produtos com capacidade 5G e a lançar as suas primeiras soluções para uso industrial.

Fábrica da Bosch em Feuerbach-Estugarda é exemplo pioneiro em 5G

O ActiveShuttle move-se sem esforço e de forma autónoma pelo chão de fábrica, evita pessoas e veículos, contorna as caixas de armazenamento, dirige-se intencionalmente para a linha de produção, para, descarrega a sua carga e parte novamente. Na unidade da Bosch em Feuerbach-Estugarda, a fábrica do futuro está a tornar-se cada vez mais uma realidade – o que inclui aplicações 5G, como o uso generalizado de sistemas de transporte autónomo. “As redes de campus são um bloco de construção importante para a Indústria 4.0”, afirma Michael Bolle. Uma característica determinante é a cobertura de rede onipresente e ininterrupta. A rede pode ser otimizada e adaptada para aplicações industriais altamente exigentes. Na rede de campus em Feuerbach, oito pequenas estações base - conhecidas como “pequenas células” - garantem uma boa receção do sinal em toda a fábrica, que cobre cerca de 10.000 metros quadrados.

Integrada na infraestrutura de TI existente e monitorizada continuamente, a rede do campus 5G oferece o nível máximo de segurança e independência. “As redes do campus permitem-nos ter controlo sobre aquilo que acontece na fábrica e sobre a forma como os dados são transferidos dentro e fora das paredes da fábrica”, explica Bolle. A Bosch configurou a rede em conjunto com a Nokia. Enquanto à Bosch coube a definição dos casos de uso, a Nokia ficou responsável pelos componentes 5G. As duas empresas são responsáveis em conjunto pelo planeamento, operação e manutenção da rede. O trabalho pioneiro em Feuerbach é também o cenário para uma simbiose extraordinária: Indústria 4.0 combinada com 5G, otimizada com inteligência artificial. Como parte do KICK, um projeto financiado pelo Ministério Federal Alemão de Educação e Pesquisa, a Nokia e outros parceiros estão a realizar uma pesquisa sobre a forma como a inteligência artificial pode simplificar a operação e manutenção de redes de campus 5G.

Bosch vai lançar os seus primeiros produtos com capacidade 5G

Quem quiser tirar proveito do potencial do novo padrão de comunicações móveis nas fábricas não necessita apenas de redes 5G, mas também de equipamentos e máquinas que sejam capazes de interagir sem fios. A Bosch está a criar produtos compatíveis com 5G. “Temos uma visão clara da fábrica do futuro e de como precisamos de desenvolver os nossos produtos de modo a responder a essas necessidades. Neste contexto, o 5G é um ‘trampolim de inovação’, uma tecnologia que trará mudanças fundamentais ao mercado”, afirma Rolf Najork, membro do conselho de administração da Bosch responsável por tecnologia industrial. 

Através de um estudo, a Capgemini concluiu que 65% das empresas industriais em todo o mundo planeiam implementar 5G nos dois primeiros dois anos da sua disponibilidade. A Bosch está a desenvolver soluções para conseguir responder a essa procura. Na Hannover Messe 2019, a empresa apresentou o ActiveShuttle, cuja capacidade 5G e software inteligente permitem a integração em operações intralogísticas de forma simples e segura. O 5G desempenha também um papel importante na tecnologia de controlo. Na verdade, a plataforma ctrlX Automation da Bosch Rexroth foi desde o ínicio projetada para o 5G. “Estamos a traçar novos caminhos e a fazer a ponte entre os sistemas de controlo, as TI e a Internet das coisas. A nossa nova tecnologia de controlo irá utilizar o novo padrão de comunicações móveis para conectar uma ampla gama de dispositivos”, explica Najork.

Bosch vê o 5G como um impulso para os negócios

O 5G está a fazer incursões não apenas na indústria de manufatura, mas também nas áreas da saúde, agricultura, mobilidade e desenvolvimento urbano. Os especialistas estimam que haverá até 70 biliões de dispositivos conectados em todo o mundo até 2025, desde robots industriais e carros autónomos, a sensores que fornecem informações sobre o índice de nutrientes ou o nível de humidade dos solos agrícolas. O novo padrão de comunicações móveis desempenha aqui um papel importante e tem vindo a tornar-se um fator competitivo. “Desempenhamos um papel ativo no que diz respeito àquilo que é a formulação do 5G. A Bosch começou a trabalhar na pesquisa em 5G em 2014”, diz Bolle. Isto inclui atividades como o 5G NetMobil, um projeto que mostra como alcançar uma condução totalmente conectada e como a tecnologia de comunicação moderna a pode tornar mais segura. Entretanto, a associação internacional 5G-SMART está a investigar os potenciais efeitos que o 5G terá na produção de semicondutores complexos. Estas descobertas estão a ser incorporadas no planeamento de redes 5G, também na nova na fábrica wafer da Bosch em Dresden, que estará pronta para receber o 5G desde o primeiro dia. Além disso, a Bosch preside atualmente a iniciativa 5G-ACIA, cujas mais de 70 empresas membros têm como missão moldar o 5G para que este responda, desde o primeiro momento, às necessidades da indústria de manufatura. Enquanto empresa líder em IoT que oferece soluções para mobilidade conectada, casas inteligentes e indústria conectada, a Bosch vê o 5G como um impulsionador de negócios futuros.

Em Portugal, a Bosch trabalha em parceria com a Altice Portugal, a Huawei e Universidade de Aveiro para aplicação do 5G na indústria portuguesa

A Bosch, a Altice Portugal, a Huawei e a Universidade de Aveiro assinaram um protocolo de cooperação com vista à identificação de oportunidades de aplicação da tecnologia 5G em ambiente industrial (Industrial Internet of Things). 

Cada uma destas entidades cooperantes participa neste projeto com diferentes contributos: a Bosch é responsável pela implementação de casos de uso usando tecnologia 5G nas suas fábricas em Portugal; a Altice Portugal enquanto operador móvel contribui para o estudo de arquitetura e desenho da rede; a Huawei como detentora da tecnologia e fornecedora do equipamento de comunicações; e Universidade de Aveiro desempenha um papel fundamental na definição da arquitetura de rede, tirando partido do seu Lab 5G.

O projeto desenvolvido em cooperação pelas quatro entidades visa a definição de arquiteturas de comunicação em 5G, de forma a possibilitar a implementação de casos de uso. A implementação de tecnologia IoT, inovação nas áreas da robótica e realidade aumentada com transição de vídeo em tempo real, um maior número de dispositivos e monotorização de equipamentos vários, e ainda uma mais rápida transmissão de dados com linhas robotizadas a poderem ser comandadas remotamente, são algumas da inovações e benefícios que este projeto de colaboração trará para a indústria portuguesa, como o objetivo final de contribuir para aumentar a competitividade na produção.

A implementação total deste projeto está prevista ficar concretizada até ao final de 2023.

Os projetos em curso explorando a tecnologia 5G e a sua aplicação em processos industriais foi um dos temas abordados pela Bosch no ciclo de conferências Let’s Talk About Tech. A conversa contou com a participação de especialistas da Bosch, Huawei, Altive Lab e Universidade de Aveiro e está disponível em:

Share it:

info

Post A Comment:

0 comments: