Total Pageviews

Blog Archive

Procura neste Blog

ITO-NeTthings. Com tecnologia do Blogger.

Blogs de Portugal

Edge Computing nos Centros de Dados: desafios e benefícios

Edge Computing nos Centros de Dados: desafios e benefícios
Share it:
  • Para que o Edge Computing seja eficaz e permita, entre outros aspetos, uma menor latência e otimização da largura de banda, os desafios de padronização, segurança, gestão remota ou velocidade devem ser os primeiros a ter resposta.
  • De acordo com a Gartner, uma em cada quatro empresas globais (25%) irá melhorar o desempenho dos seus centros de dados até 2021 com algum tipo de aplicação informática de ponta, indicando que esta é uma tendência ascendente.
Edge Computing nos Centros de Dados: desafios e benefícios

Num momento em que o Edge Computing está em voga, a Eaton, empresa líder em gestão de energia, esclarece os seus desafios e benefícios e alerta que a gestão de dados é importante, mas a sustentabilidade desta nova forma de gerir a economia digital é igualmente fundamental. Sublinha a Eaton, que tudo deve ser alimentado por energia renovável que forneça energia limpa e tire partido das UPS garantindo assim a eficiência do fornecimento de energia e do processamento - e, portanto, o funcionamento das infra-estruturas e aplicações.

O Edge Computing permite que os dados produzidos em dispositivos, sistemas ou redes sejam recolhidos e processados mais perto do ponto onde vão ser utilizados, devido a uma arquitectura e técnicas que combinam os benefícios da nuvem com o processamento local nos chamados Edge Data Centers. Ao aplicar esta filosofia, os cenários empresariais e industriais ganham em autonomia e rapidez, e reduzem outros aspectos como a latência e o custo das comunicações, atributos muito interessantes em certas áreas ou sectores, tais como a rede eléctrica e os centros de dados, diz a Eaton.

Com esta tecnologia, as organizações podem criar pequenos centros de dados - conhecidos como Edge Data Centers ou Micro Data Centers - a nível local na nuvem, graças aos quais as funções de recolha e controlo de dados, bem como de armazenamento de dados, estão mais próximas do dispositivo e do utilizador final, com os benefícios que isso implica. De facto, segundo um estudo do Gartner, uma em cada quatro empresas globais (25%) irá melhorar o desempenho dos seus centros de dados até 2021 com algum tipo de aplicação informática de ponta, indicando que esta é uma tendência ascendente.

"Cada vez mais aplicações estão a ser utilizadas, mais vídeos estão a ser vistos ou mais documentos estão a ser enviados e recebidos, tanto a nível pessoal como empresarial. Isto significa que os centros de dados requerem mais largura de banda e um elevado nível de processamento para poderem funcionar. O Edge Computing entra precisamente para resolver estes problemas, permitindo uma redução no tempo de latência, optimizando a largura de banda, melhorando a disponibilidade de conteúdos, automatizando certos processos e permitindo o controlo e análise de dados em tempo real", acrescentou o gestor da Eaton.

Contudo, de acordo com a Eaton, a aplicação e utilização do Edge Computing traz consigo uma série de desafios em termos de normalização, segurança (tanto física como lógica), gestão remota, eficiência energética, rapidez e facilidade de implementação que devem ser ultrapassados para que seja verdadeiramente eficaz:
  • Para gerir a infra-estrutura física nos espaços da Edge Computing, as organizações precisam de seguir uma abordagem baseada na padronização e modularidade. Isto assegura fiabilidade e disponibilidade constantes ao mesmo tempo que proporciona um sistema à prova de futuro. Também reduz a complexidade do sistema em áreas tais como o número e a localização de peças sobressalentes de infra-estruturas.
  • A infra-estrutura requer um elevado nível de segurança física e a gestão remota é necessária, não opcional. O Edge pode ser implementado em locais pequenos, remotos e/ou de difícil acesso por técnicos formados, locais não especialmente preparados para acolher um centro de dados. Além disso, a maioria requer uma gestão de dados rigorosa. Portanto, são essenciais precauções extremas em termos de segurança física, bem como o estabelecimento de opções e protocolos de gestão remota, para que a proteção seja garantida e as necessidades possam ser satisfeitas remotamente, sem a necessidade de presença local. Neste sentido, é vital ter um sistema integral para o controlo e gestão de todos os elementos que compõem a solução de Edge Computing e para promover a cibersegurança na transmissão de dados, o que garante a confidencialidade e integridade.
  • A rapidez e facilidade de implementação são essenciais para gerir os custos e garantir a agilidade das operações comerciais. Isto inclui aspetos como os testes anteriores que precisam de ser realizados e a implementação eficiente do sistema. Em geral, um Edge Micro Data Center pode ser completamente montado e testado nas instalações do fabricante antes da implementação, reduzindo consideravelmente o tempo, os riscos e os recursos necessários para a implementação da infra-estrutura do Edge.

"Para que o Edge Computing e os centros de dados formem uma verdadeira parceria no processamento de informação, aspetos como restrições de espaço, problemas de latência, largura de banda, intensidade de dados ou requisitos orçamentais pré-determinados devem ser tidos em conta", explica Juan Manuel López, Responsável do segemntod e Data Centers da Eaton Iberia. "A filosofia Edge permite-nos gerir dados sem ter de os utilizar ou enviar para grandes centros de dados, mas não devemos esquecer que esta nova forma de gerir a economia digital também deve ser sustentável: tudo deve ser alimentado por energia renovável para fornecer energia limpa e tirar partido da UPS para garantir a eficiência do fornecimento de energia e do processamento - e, portanto, o funcionamento das infra-estruturas e aplicações", acrescenta.

Menor latência e largura de banda otimizada, os maiores benefícios

Apesar dos desafios, a implementação da Edge Computing está em plena expansão - e é uma tendência futura, especialmente devido ao desenvolvimento do 5G - devido à quantidade de benefícios que traz. A ideia de uma proliferação de diferentes micro/mini centros de dados a nível local já é uma realidade.

Uma vez que tanto o armazenamento como a gestão da informação estão geograficamente mais próximos, problemas como a alta latência, o elevado custo da largura de banda devido à enorme quantidade de utilizadores e dispositivos ligados que exigem uma transmissão constante e rápida dos dados, e a soberania e governação dos dados são resolvidos. O Edge Computing torna-se assim uma ligação para o intercâmbio de dados que permite uma maior e melhor gestão do funcionamento dos centros e das necessidades dos dispositivos e dos utilizadores finais.
Share it:

info

Post A Comment:

0 comments: